Uma breve história do Big-Bang ao alvorecer da vida: Parte II

Atualizado: 2 de Jun de 2019

Por Amanda Bendia


Sobre as condições essenciais para o surgimento da vida na Terra

A Terra nos seus primórdios (concepção artística). Fonte

Os primeiros 400 milhões de anos da Terra foram hostis e desoladores: temperaturas de mais de 200ºC tornavam a crosta liquefeita e gases vulcânicos, especialmente CO2, eram lançados em grandes quantidades na atmosfera em formação. Conforme a Terra foi resfriando, a crosta tornou-se sólida e a temperatura mais baixa permitiu a presença de água líquida em sua superfície. Esse foi provavelmente um fator fundamental para o surgimento da vida.


Além disso, as moléculas orgânicas, geradas na nebulosa que deu origem ao nosso Sistema Solar, sofreram reações químicas, resultaram em moléculas orgânicas ainda mais complexas, compostas especialmente por Carbono, Hidrogênio, Oxigênio, Nitrogênio, Fósforo e Enxofre. Esses foram os blocos de construção iniciais para as primeiras moléculas biológicas.

Outro evento importante que propiciou o desenvolvimento e manutenção da vida no planeta foi o impacto de um corpo do tamanho de Marte, logo no início da formação da Terra, que deu origem à nossa Lua. É curioso pensar que uma colisão com 100 milhões de vezes mais energia do que o impacto que extinguiu os dinossauros pode ter auxiliado o estabelecimento da vida durante a história do planeta. O que acontece é que a força gravitacional da Lua estabiliza a inclinação do eixo da Terra. Sem esta estabilidade, grandes mudanças climáticas ocorreriam, e possivelmente formas de vida complexas não teriam se desenvolvido.

A origem da Lua: quando um corpo do tamanho de Marte colidiu com a Terra e formou o nosso satélite natural (concepção artística). Fonte


Outras características do nosso planeta também foram fundamentais para o surgimento e manutenção da vida, como a presença de um núcleo metálico, que gera um campo magnético e atua como um escudo protetor contra radiações cósmicas; a presença de um manto e sua movimentação abaixo da crosta promove as atividades tectônicas, vulcanismo e movimentações continentais.


     O vulcanismo, por sinal, foi muito importante para o surgimento da vida, uma vez que suas emissões gasosas forneceram nutrientes que podem ter sido utilizados pelos primeiros organismos unicelulares, como dióxido de carbono e sulfeto de hidrogênio. Os vulcões também ajudam na manutenção das condições climáticas do planeta e auxiliam na reciclagem do carbono que é, depois da emissão, utilizado pelos organismos vivos em seus processos metabólicos.


Gostou? Então, aguarde as cenas dos próximos capítulos!


Para acessar a Parte I, clique aqui!

#amandabendia #ciênciasdomar #astrobiologia #origemdalua #terraprimitiva

0 visualização

RECEBA NOSSOS EMAILS

whatsapp-logo-1.png

Clique no ícone e entre no nosso Grupo do Whatsapp!

© 2019 por Bate Papo com Netuno. Criado com Wix.com por Júlia Gonçalves

  • Preto Ícone Twitter