top of page

Um ano meu, oito anos nossos!

Por Natasha Travenisk Hoff

Ilustração de Alexya Queiroz


Eu completei um ano com Netuno, ele completou oito anos de existência… acompanhe aqui como foi esse aprendizado, a troca de experiências e o crescimento pessoal e do Bate-Papo com Netuno ao longo do tempo!


Desde a criação do Bate-Papo com Netuno, acompanhava e admirava o trabalho dessas mulheres cientistas incríveis. Já havia conhecido a maioria delas sendo minhas monitoras em diversas disciplinas do curso de graduação em Oceanografia do Instituto Oceanográfico da USP. E pensava: será que, um dia, eu vou conseguir também?


Aconteceu que, em janeiro de 2022, enquanto estávamos voltando às atividades presenciais em função da COVID-19, eu vi um story no instagram do Bate-Papo falando que elas precisavam de mais gente e que haveria chamada para novas integrantes. Essa era a minha deixa… com medo, respondi que se precisassem de mais gente na equipe, eu topava! A ansiedade cresceu quando disseram que me queriam na equipe e convidaram para a primeira reunião do ano, que seria em fevereiro!


Desde então, eu encontrei um espaço em que eu pudesse ser acolhida por pessoas que vivenciam/vivenciaram as mesmas coisas que eu, seja nas questões sobre o machismo estrutural e mulheres na Ciência! E, ainda, poderia conversar e aprender sobre a vida acadêmica, discutir sobre as nossas caminhadas… Descobri também que aquelas mulheres que eu tanto admiro ainda sofriam em se afirmar como profissionais em suas instituições (pois existe essa necessidade de provação muito maior quando se é mulher), com questões e cobranças relacionadas à maternidade, inseguranças sobre nossas capacidades e corpos (auto-estima que fala, né?) e, por quê não, gordofobia… pois é! E não era só eu que me sentia assim… Somos todas mulheres em toda sua plenitude, com nossos medos, cobranças e desafios… falíveis… mas estamos juntas! Aprendendo diariamente…


E como eu aprendo com elas! Comecei apanhando dos aplicativos de gerenciamento da plataforma (reclamona que sou, logo pensei "mais um app e meu celular vai bugar!"), mas, aos poucos, fui aprendendo sobre a dinâmica de coordenação e gerenciamento das reuniões, postagens e da plataforma como um todo. São tantas ideias boas, que precisaríamos de muitas mãos a mais para colocar todas em prática! Escrevi e revisei textos, apresentei o Bate-Papo com Netuno em um evento científico, escrevi projeto para um edital do CNPq, coordenei reuniões (é, gente, para quem gosta de escrever, mas não gosta de falar, isso é muito mais difícil do que escrever 10 textos!)... Mas além desse, que considero um desenvolvimento profissional muito grande, vejo que a Natasha também cresceu pessoalmente, aprendendo a receber críticas e lidar melhor com elas, ouvindo novas perspectivas, assumindo mais responsabilidades e fazendo acontecer tantos projetos que ficariam apenas no campo das ideias.

Em uma sala de paredes brancas e piso claro, próximo a uma janela aberta, aparece a Natasha (uma mulher branca, de cabelos longos presos, vestindo uma regata preta, calça jeans cinza e tênis lilás) sorrindo ao lado do pôster sobre o Bate-Papo com Netuno, apresentado durante o Encontro Brasileiro de Divulgadores de Ciência em agosto de 2022

Apresentação de pôster sobre o Bate-Papo com Netuno durante o Encontro Brasileiro de Divulgadores de Ciência, que ocorreu em agosto de 2022. Fonte: Natasha Travenisk Hoff com licença CC BY NC-ND.


E eis que, em abril, o Bate-Papo com Netuno está completando oito anos de existência!!!! Então, esse texto traz uma dupla comemoração: meu primeiro ano como editora voluntária e oito anos da plataforma!


Nesses oito anos, o Bate-Papo deixou de ser um blog, passando a ser uma plataforma digital de divulgação científica, galgando seu espaço na comunicação das Ciências do Mar! Conquistou as redes sociais todas e, hoje, temos 7.400, 6.678 e 617 seguidores no Facebook, Instagram e Twitter, respectivamente. Temos um canal no Youtube e um Podcast! Além disso, também temos um grupo no Whatsapp para quem quer receber as novidades todas fresquinhas, e uma Newsletter mensal (por um acaso, de minha responsabilidade) para ninguém perder nenhuma postagem do mês anterior! Ainda, tivemos 147.500 visualizações na nossa página ao longo desse tempo, incluindo acessos de 61 países diferentes! Deve ser por isso que o Bate-Papo se tornou referência para assuntos relacionados ao Oceano, seja para leigos, profissionais das Ciências do Mar, ou alunos em idade escolar, de graduação e pós-graduação, e até mesmo entre os divulgadores científicos!

Mapa mundi no qual a região oceânica apresenta tom de cinza mais intenso que a porção terrestre. O número de visualizações na página do Bate-Papo com Netuno é representado por circunferências cuja tonalidade de azul é mais intensa e o tamanho é maior proporcionalmente às visualizações. As circunferências concentram-se principalmente no Brasil, mas também na porção leste dos EUA e Europa

Mapa de visualizações por cidades na página do Bate-Papo com Netuno entre 02 de fevereiro de 2015 até 27 de março de 2023. Quanto maior e mais escura a circunferência, mais o número de visualizações. Fonte: wix.com



Mas o Bate-Papo com Netuno foi além das Ciências do Mar… e vem trazendo à tona importantes pautas, como o cotidiano da vida de uma/um cientista, que, apesar de todas as conquistas, muitas vezes passa por relações abusivas, desvalorização profissional, desgastes físicos e emocionais; questões de gênero na Ciência, abordando a representatividade, sororidade; assédio em embarcações, uma infeliz realidade, principalmente, na vida de mulheres que trabalham ou já trabalharam embarcadas.


Em relação às publicações, elas já ultrapassaram a marca de 350 postagens e estão distribuídas ao longo das cinco sessões - Ciências do Mar (121), Descomplicando Netuno (56), Mulheres na Ciência (60), Vida de Cientista (59) e Netuniando por Aí (38) -, além das Tiradas de Netuno (23). Além disso, para que as postagens possam chegar ainda mais longe, 70 publicações originalmente escritas em português já foram traduzidas para o inglês no Chat with Neptune. Tudo isso para que consigamos atingir um público cada dia maior e mais variado espalhado pelo mundo!


Ao longo dos anos, nossa equipe passou de sete mulheres (fundadoras do blog) para mais de 15 voluntárias, considerando editoras, colaboradoras, ilustradoras e tradutoras. Crescemos e aprendemos juntas, e nos fortalecemos como grupo e individualmente, como mulheres, cientistas, lutando diariamente pelo nosso lugar ao sol (vulgo mundo e Ciência mais igualitários e seguros para as mulheres)! E, assim, seguiremos por muitos mais anos!


E você, topa seguir com a gente?


#VidaDeCientista #Oceanografia #CiênciasDoMar #DivulgaçãoCientífica #NatashaHoff

62 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page